ADBF dá vexame, perde a terceira consecutiva e já se complica na Copa Rick Record – 21/04

O vexatório segundo tempo foi mortal para ADBF/DME/Aracnomania Sport que perdeu por 4 a 1 para AD Cunha Porã, na ultima quinta-feira (17), em Cunha Porã, o que complicou muito suas aspirações na Copa Rick Record de Futsal. Com a terceira derrota consecutiva, o tricolor bom-jesuense se instala em uma crise e ocupa a 6ª posição da sua chave. Já a equipe cunhaporense somou os seus primeiros pontos na competição.

As duas equipes voltam a jogar nesta semana e contra o mesmo adversário. A AD Cunha Porã enfrenta a DME Nova Itaberaba, dia 22 de abril, às 20h15. Já, a ADBF/DME/Aracnomania Sport joga dia 23, também às 20h15. Ambos os confrontos serão em Nova Itaberaba.

Se a pressão já era grande na etapa inicial da partida, a situação da ADBF ficou ainda mais dramática quando AD Cunha Porã abriu o placar logo aos 07 minutos de jogo do segundo tempo, com Charles. Porém, ao invés de criticar o tricolor, a pequena torcida bom-jesuense que se fazia presente no ginásio, passou a gritar o nome da ADBF e apoiar os jogadores.

Embora com maior posse da bola, a ADBF abusava e errava muitos gols. Nada de ruim que não possa piorar. Três minutos após o gol sofrido, o atleta Mano da ADBF foi cobrar um escanteio e se envolveu em um impuro-impura com um atleta do banco de reservas adversário e desencadeou uma confusão generalizada que se estendeu ate as arquibancadas.

A partida ficou paralisada por praticamente 10 minutos. Acalmados os nervos dos atletas e torcida, o arbitro expulsou dois atletas de cada equipe. Pelo lado do time da casa, Diego e Roberto, e da ADBF Mano e Jefinho.

Com apenas 3 atletas em quadra (um goleiro e dois jogadores) contra 4 da equipe cunhaporense, a ADBF sofreu o segundo gol e logo na sequencia o terceiro. Com o placar de 3 a 0 para os donos da casa, o treinador Alan Reichert colocou em quadra o goleiro linha, mas a tática não surtiu o efeito esperado, pois a AD Cunha Porã voltou a balançar as redes bom-jesuense. Restando menos de um minuto para o final da partida Maicon Welter fez o gol de honra e decretou números finais a partida. Após o jogo, o treinador Alan Reichert não escondeu o descontentamento com todo o acontecido e criticou a atitude de seus atletas e da arbitragem.

“Estou claramente aborrecido com a atitude dos meus jogadores, que infelizmente pensaram pequeno e perderam a cabeça no momento errado da partida. Cada um tem que se preocupar em jogar, render ao máximo e defender o seu time. Só que brigas não são adequadas. Hoje os meus jogadores foram juvenis, caíram na pressão adversária e as expulsões influenciaram diretamente no resultado final da partida. Também estou aborrecido com o comportamento da arbitragem que deixou as coisas chegar no ponto que chegou. Foram vários os erros cometidos ao longo da partida. Todo lance duvidoso o treinador, massagista e dirigentes da equipe adversária pressionavam a arbitragem que nada fez para colocar ordem na casa. Não estou tirando o nosso da reta e muito menos tampando o sol com a peneira ou desmerecendo a vitoria adversária. Simplesmente estou relatando uma situação que já havia acontecido com nos no jogo contra Maravilha e que se repetiu no dia de hoje”, declarou Reichert que também fez criticas a Liga Chapecoense de Futsal por aceitar a realização de partidas sem seguranças.


“Nos dias de hoje não é mais aceitável esse tipo de situação, ainda mais no amador, onde que coisas que não estão nos gibis acontecem. Se a Liga optou pela questão financeira, penso que se o clube que queira participar de qualquer competição, não tenha ou não queira gastar com a contratação de seguranças, deveria ficar de fora e nem participar, pois a falta de segurança influencia na decisão do árbitro que amedrontado deixam de expulsar e marcar faltas quando realmente e necessário. A Liga Chapecoense de Futsal tem que rever esta situação e exigir dos clubes rapidamente segurança a equipe visitante, torcedores e principalmente aos árbitros para que os mesmo possam apitar o que realmente tem que ser apitado, ao invés de fechar os olhos e deixar acontecer o que aconteceu hoje e o que vem acontecendo em outros jogos deste campeonato”, finalizou Reichert.